segunda-feira, 31 de outubro de 2011

E se os palhaços fossem com o Coelhinho no comboio ao circo (de Pequim)?

Quando um Secretário-de-Estado da Juventude e do Desporto aconselha os jovens a emigrarem, dá vontade de lhe dizer «Emigra mas é tu, pá!».

Fica também a saber-se uma coisa: se este senhor não for imediatamente demitido, isso quer dizer que a emigração é a solução que o governo e o Primeiro-Ministro têm em vista para resolver o problema do desemprego, particularmente o dos jovens qualificados em cuja formação a sociedade portuguesa investiu grandes somas de dinheiro e de conhecimento.

Mas talvez, afinal, isto seja uma nova forma de solidariedade internacionalista: dar de borla aos países mais ricos (onde os jovens e os mais qualificados também estão à rasca, mas isso são pormenores) quem tanto nos custou a formar.

4 comentários:

Ricardo André disse...

Isto é escandaloso!...Realmente ele é que devia emigrar para saber o que é bom!...E, meus caros, sei bem do que falo!Pois , esse senhor já se demitiu??...ainda não??

(Paulo Granjo) disse...

Não, nem parece que o queiram demitir. Ainda diz que essa política "juvenil" vai sair em breve num livro branco, ou lá de que cor é...

Gonçalo Veiga disse...

Se fosse nos EUA já tinha sido forçado a despedir-se.

Anónimo disse...

Caso INSÓLITO
Diretor e Presidente de Conselho Executivo/ Diretivo há mais de 20 anos com progressão na carreira como se fosse licenciado sem o ser.
O atual Diretor do Agrupamento de Escolas Dr. João de Araújo Correia, recentemente eleito -16 de julho de 2011- apresentou-se a concurso, como sendo licenciado em Produção Animal na IUTAD quando, afinal, se verificou que nunca completou a licenciatura que diz ter.
De acordo com o Regulamento eleitoral para o cargo de Diretor, aprovado, por unanimidade, pelo Conselho Geral Transitório, os candidatos que prestassem declarações falsas seriam excluídos automaticamente do concurso. A Comissão que acompanhou e verificou todo o processo eleitoral, na sua boa fé, não verificou se o candidato tinha ou não feito declarações falsas; aceitou-as como verdadeiras e, por isso, considerou que o ex Presidente da Comissão Administrativa Provisória, ex Diretor do Agrupamento vertical de Peso da Régua, ex Presidente do Conselho Diretivo/Executivo, reunia as condições para ser candidato a diretor do Agrupamento, vindo a ganhar a eleição com 12 votos contra os 9 que o seu opositor teve, no órgão que o elegeu - o CGT.

Faça-se JUSTIÇA!!!!!